Comunicado do WikiLeaks

Este comunciado oficial foi publicado na noite de ontem pela organização.

“A divulgação do Cablegate pelo Wikileaks está sendo usada por centenas de canais jornalísticos e grupos de ativistas ao redor do mundo.

Existem agora mais de 1.300 telegramas em domínio público, e outros centenas de milhares estão para ser divulgados.

Como em toda história dessa magnitude, o caso está sendo usado tanto por governos quanto por jornalistas: o governo iraniano condenou a Wikileaks como uma organização de fachada dos Estados Unidos; os governos da China e da Rússia sugeriam que Julian Assange fosse premiado com o Nobel, enquanto Israel recebeu bem as notícias do Oriente Médio que revelam como muitas nações compartilham receios a respeito do regime nuclear do Irã.

Alguns dos jornalistas, governos e ativistas que estão escrevendo sobre o material dos telegramas das embaixadas têm percepções extremas sobre vários assuntos. Essas percepções não são as percepções do Wikileaks.

A Wikileaks é uma organização dedicada à transparência e à prestação de contas, e a permitir que whistleblowers (informantes) possam fazer com que governos e corporações prestem contas sobre o que fazem de errado.

Esse é o único propósito da Wikileaks, que vamos continuar a buscar incansavelmente”.

Anúncios

8 Respostas para “Comunicado do WikiLeaks

  1. Amiga Natalia, asistí a la conferencia de Prensa de hoy miércoles, que termino’ aquí en Roma a la una de la mañana. Me ha encantado la forma como la habéis conducido. Estoy provisoriamente en Roma, pero trabajo hace 46 anos en Brasil, y cuatro de ellos trabajé con la Hermana Dorothy Stang ( Leí hoy la noticia en tu Blog.)
    Me ha gustado mucho la conferencia de Prensay me encanto’ tu simpatía.
    Creo que Wikileaks representa un divisor de aguas en la manera de tratar la información, será un punto que marca un antes y un después.
    Hay que darle apoyo a Julián Assange. El es un joven valiente que no tiene miedo de exponer la vida por una causa justísimo como es la libertad de Prensa.
    Un abrazo bien paraense.
    Lima

  2. Não me resta dúvida alguma que o Assange é uma farsa. Os documentos são reais, mas estão sendo divulgados por razões menos honestas do que se imagina. E eles também foram selecionados a dedo, para não comprometer demais os EUA. Podem ver como os documentos apenas validam a falsa guerra contra o terrorismo (até mesmo no Brasil), justificam agressão contra o Iran e Coreia do Norte, e este caso irá trazer a censura total para a internet, o que acredito que seja o objetivo final! Veja como o Assange nega qualquer suspeitas em torno dos atentados do 11 de setembro:

    http://blog.antinovaordemmundial.com/2010/12/julian-assange-do-wikileaks-falsas-teorias-de-conspiracao-sobre-o-11-de-setembro/

    Ao mesmo tempo, mais de 100 respeitadas autoridades, cientistas, engenheiros e arquitetos questionam a versão oficial do 11 de setembro e pedem uma nova investigação independente.

    http://www.anovaordemmundial.com/2010/12/conheca-as-autoridades-cientistas-e.html

    6 dos 10 investigadores da comissão oficial foram a público dizendo que a investigação foi uma farsa.

    Mas mesmo assim, Assange tem a audácia de dizer que o 11 de setembro é uma falsa conspiração?

  3. Fábio de Oliveira Ribeiro

    O fato do wikileaks não JULGAR o conteúdo que libera não quer dizer que não esteja JULGANDO o que deve liberar, que não JULGOU o que já liberou e, especialmente, que não JULGUE conveniente reter o que se recusou a liberar até o presente momento. Enquanto Assange não liberar geral devemos manter algumas desconfianças sadias acerca de seu procedimento.

  4. Dos 250 mil docs, os WikiLeakes divugaram uns 1.300… Se são MESMO transparentes que disponibilizem tudo de uma vez. Este gotejamento de informações é uma didática de intencionalidade ideológica.

  5. Assange fala qual seu objetivo e como trabalha…

    Divulguem, e por favor algué traduza e coloque legendas para que as informações tenham maior alcance!

    Grata,

    Zenn Bell

  6. Boaventura de Sousa Santos no artigo “Wikiliquidação do Império?” (Carta Maior 12/12/2010) manifesta estranhamento quanto à ausência de Israel nos documentos confidenciais e aponta a suspeita de acordo entre Assange e Israel:

    “…Ainda no domínio do processamento do conhecimento, será cada vez mais crucial fazermos o que chamo uma sociologia das ausências: o que não é divulgado quando aparentemente tudo é divulgado. Por exemplo, resulta muito estranho que Israel, um dos países que mais poderia temer as revelações devido às atrocidades que tem cometido contra o povo palestiniano, esteja tão ausente dos documentos confidenciais. Há a suspeita fundada de que foram eliminados por acordo entre Israel e Julian Assange. Isto significa que vamos precisar de uma Wikileaks alternativa ainda mais transparente. Talvez já esteja em curso a sua criação.”

    http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaMostrar.cfm?coluna_id=4903

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s