Eleições 2006: PSDB falava de virada, mas cônsul já achava “fantasia”

por Marcus V F Lacerda

Em encontro com o cônsul-geral McMullen, o tucano Fernando Braga disse que Alckmin iria até o segundo turno e a partir disso os votos de Lula já teriam alcançado o seu ápice só tenderia a cair, permitindo o candidato “vencer nos últimos cinco minutos”. O cable que descreve a conversa é de final de agosto. Há pouco mais de um mês do dia da eleição.

Segundo Braga, Lula não teria os espantosos números que eram previstos pelas pesquisas. Mesmo que o então presidente tivesse um desempenho bom no Nordeste, os aliados do PSDB que competiam pelos governos estaduais  da região converteriam muitos votos para Alckmin. O PT na época governava apenas 3 estados e a previsão era este número diminuir depois da eleição.

O desempenho de Alckmin até então, descreve Braga, melhorava no sul de Minas. O ex-presidente Itamar Franco já mostrara apoio ao paulista e era esperado que Aécio Neves também o ajudasse. O telegrama comenta uma crença comum que havia na época que era preferível que Lula ganhasse de Alckmin para que Aécio viesse como nome mais óbvio na eleição de 2010 e cita uma entrevista do mineiro à Folha de S. Paulo onde o neto de Tancredo critica a hegemonia política do estado paulista.

Gilberto Braga diz que a estratégia de campanha da oposição seria trazer a questão da corrupção política para os eleitores, mas sem deixar de lado outros assuntos. A opinião do tucano era de que os eleitores mais humildes estão mais preocupados com seu bem-estar econômico e qualquer proposta de um governo mais atuante deveria ser acompanhada de programas que gerassem emprego e levassem a um aumento salarial.

A Rede Globo estaria ajudando a Lula devido a uma negociação de suas dívidas em troca de espaço para propaganda de órgãos do governo e estatais, denunciou Braga. O tucano lamentava ainda que a emissora ditasse as regras do debate político e que os filhos de Roberto Marinho seriam apenas homens de negócios, e não jornalistas como o patriarca do conglomerado. “A não ser aconteça algo que torne Alckmin o favorito, a Rede Globo continuará a guiar sua cobertura em favor de Lula”, criticou Gilberto Braga.

 

Os diplomatas americanos comentam o esforço dos aliados de Alckmin em mantê-lo em evidência a fim dele se sobrepor a Lula. “Não é claro ainda se os apoiadores da oposição estão embalados em pensamentos esperançosos e fantasia”, comenta o telegrama que ainda nota a ironia de um fato: se a candidata do PSOL egressa do PT, Heloísa Helena, chegasse à marca dos 15%, então Lula não ganharia a eleição no primeiro turno. A candidata alagoana teve modestos 6,85% dos votos.

Anúncios

Uma resposta para “Eleições 2006: PSDB falava de virada, mas cônsul já achava “fantasia”

  1. Qual a relação entre os tucanos e a embaixada americana? Eles vão ao embaixador para dá alguma satisfação, para pedir orientação política ou pedir ajuda finaceira? É comum em países democraticos seus políticos prestarem informação sobre as eleições presidenciais a embaixadores de outros países? Essa relação para mim é pra lá de suspeita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s